O que acontece quando você faz uma busca por informação


Uma das minhas perguntas na pesquisa do Mestrado é entender como os pesquisadores fazem buscas por tópicos de disciplinas que não fazem parte da área de estudo dele.

Na busca por artigos relacionados ao tema eu encontrei o Epistemological beliefs and the information-seeking behavior of undergraduates. O objetivo do artigo é explorar a relação entre as crenças epistemológicas dos estudantes de graduação e o comportamento de pesquisa por informação deles. Já o meu objetivo era só entender melhor do que se trata essas duas coisas. O artigo foi importante pra mim por me apresentar essa área da epistemologia (que eu nem sabia que existia) e me deu mais noção de que caminhos eu posso tomar na busca de literatura para responder minhas questões.

Segundo o Information search process model (que vamos explorar daqui a pouco) após ler o artigo agora eu estou no estágio 4: focus formulation. Nessa fase meu tópico se torna mais personalizado e a construção começa a tormar forma.

Epistemologia e alguns modelos de desenvolvimento epistemológico

A epistemologia é o “estudo filosófico da natureza, das fontes e das limitações do conhecimento” (Moser, Mulder, & Trout, 1998 conforme citado por Whitmire, 2003). A autora fala de quatro principais teorias do desenvolvimento epistemológico que serviram como base teórica para o artigo. Entre elas o “Scheme of intellectual and ethical development” e o “Women’s ways of knowing model” são bem interessantes pela dualidade entre eles. O primeiro estudo foi realizado com homens brancos, estudantes de graduação de Harvard no início dos anos 1950 e 1960; o segundo foi realizado com mulheres de instituições acadêmicas e de ‘‘invisible colleges’’. A diferença das crenças desses dois grupos é fascinante:

Scheme of intellectual and ethical development

  • Dualism: all knowledge is known. Further, there is certainty that right and wrong answers exist for everything.
  • Early multiplicity: most knowledge is known. All is knowable. Certainty that there exists a right way to find the right answers.
  • Late multiplicity: in some areas, there is certainty about knowledge. In most areas, there is uncertainty.
  • Contextual relativism: all knowledge is contextual. All knowledge is disconnected from any concept of absolute truth. Right and wrong, adequate and inadequate, appropriate and inappropriate, however, can exist within a specific context and are judged by a ‘‘rule of adequacy’’ that is determined by expertise and good thought processes (Perry, 1999, introduction).

Women’s ways of knowing model

  • Silence: a position in which women experience themselves as mindless and voiceless and subject to the whims of external authority.
  • Received knowledge: a perspective from which women conceive of themselves as capable of receiving, even reproducing, knowledge from the all-knowing external authorities but not capable of creating knowledge on their own.
  • Subjective knowledge: a perspective from which truth and knowledge are conceived as personal, private, and subjectively known or intuited.
  • Procedural knowledge: a position in which women are invested in learning and applying objective procedures for obtaining and communicating knowledge.
  • Constructed knowledge: a position in which women view all knowledge as contextual, experience themselves as creators of knowledge, and value both subjective and objective strategies for knowing (Belenky et al., 1986, p. 15).

O Reflective judgment model é o modelo que mais se relaciona com a minha pergunta, porque ele examina ‘‘the ways that people understand the process of knowing and the corresponding ways they justify their beliefs about ill structured problems’’.

The reflective judgment model

Este modelo tem 3 fases divididas em 7 estágios. As fases são:

  1. Pensamento pré-reflexivo (fase 1, estágios 1 à 3) — estudantes acreditam que existem repostas certas e respostas erradas, e que só as autoridades no assunto sabem as respostas corretas
  2. Pensamento quase reflexivo (fase 2, estágios 4 e 5) — estudantes começam a questionar as suas suposições anteriores e percebem que as autoridades no assunto podem estar erradas ou serem tendenciosas; é quando eles percebem que pode haver mais de uma resposta “correta” para um problema
  3. Pensamento reflexivo (fase 3, estágios 6 e 7) — estudantes apresentam um pensamento reflexivo e acreditam que “o conhecimento deve ser entendido com relação ao contexto onde ele foi gerado” (King & Kitchener, 1994, p. 17, conforme citado por Whitmire, 2003)

Agora que já sabemos um pouco sobre as principais teorias do desenvolvimento epistemológico, vamos para o modelo criado para definir o processo de busca por informação.

Information search process model

O Information search process model (ISP) foi proposto por Carol Kuhlthau em 1991. Ela definiu o processo de busca por informação como ‘‘the user’s constructive activity of finding meaning from information in order to extend his or her state of knowledge on a particular problem or topic’’ (Kuhlthau, 1991, p. 361, conforme citado por Whitmire, 2003). Segundo esse modelo, os 6 estágios de busca pela informação são:

  1. Task initiation — when a person first becomes aware of a lack of knowledge or understanding, feelings of uncertainty and apprehension are common
  2. Topic selection — the task is to identify and select the general topic to be investigated or the approach to be pursued
  3. Prefocus exploration — characterized by feelings of confusion, uncertainty, and doubt which frequently increase during this time. The task is to investigate information on the general topic in order to extend personal understanding
  4. Focus formulation — the turning point of the ISP when feelings of uncertainty diminish and confidence increases. The task is to form a focus from the information encountered. Thoughts involve identifying and selecting ideas in the information from which to form a focused perspective of the topic. The topic becomes more personalized at this stage if construction is taking place.
  5. Collection — the stage in the process when interaction between the user and the information system functions most effectively and efficiently. At this point, the task is to gather information related to the focused topic. Thoughts center on defining, extending, and supporting the focus.
  6. Presentation — feelings of relief are common with a sense of satisfaction if the search has gone well or disappointment if it has not. The task is to complete the search and to prepare to present or otherwise use the findings. Thoughts concentrate on culminating the search with a personalized synthesis of the topic or problem

Agora eu tenho um foco para continuar a pesquisa: estágios 2 e 3 do ISP — Topic selection e Prefocus exploration. Estou partindo da hipótese que os alunos já sentiram a necessidade de um novo conhecimento ou de um entendimento melhor que sirva para avançar sua pesquisa. Meu próximo passo é explorar mais esses dois estágios e entender como posso ajudá-los nessa tarefa.

Referências

Whitmire, Ethelene. “Epistemological beliefs and the information-seeking behavior of undergraduates.” Library & Information Science Research 25.2 (2003): 127–142.

Kuhlthau, Carol C. “Inside the search process: Information seeking from the user’s perspective.” Journal of the American society for information science42.5 (1991): 361.

Se você achou esse artigo útil, clica na 👏🏽 ali e compartilha com quem também possa achar ele interessante!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s